Páginas

27 de setembro de 2009



"Ás vezes precisamos olhar para dentro de nós, achar nosso centro, nossa essência que se perde ante as superficialidades, futilidades e medos do cotidiano. A ansiedade nos afasta de nós mesmos, nos afasta do real, do hoje. Não quero o amanhã, quero o hoje, o agora. O eterno agora!"
"Eu me entrego, aceito a mim e as condições atuais. Se for para minguar minguo. Não vou contra meus ciclos. Se for para chorar, choro tudo que houver, vou ao inferno, vou fundo. Se for para amar, também. Amo tudo, intensamente até o fim. Fico cheia, fico nova, me exalo, me recolho, fico de todos os jeitos. Cozinhando ou de molho."

2 comentários:

Felipe disse...

Viva a vida intensamente. É assim que tem que ser... Deixa a vida me levar! hehe
Já dizia o poeta!

http://cerebro-musical.blogspot.com

Esther cyrraia disse...

se tiver que ser que seja por inteiro!!!!!
adorei o blog e suas palavras, estou seguindo e deixando um xeru!