Páginas

11 de março de 2011

Me entregar de novo para aquele “amor” seria como andar na montanha russa sem cintos e de cabelo soltos, e isso não era bom para mim. Nunca gostei de coisas que arriscassem muito a vida, mas sempre tive gana de por meu coração a prova. Exitei. Petrifiquei. Fiquei lá em baixo vendo a montanha russa se agitar sozinha, e foi bom ter ficado. Foi bom ter resistido. Era minha volta da insanidade. E num momento em que a loucura parece ter ficado como algo doce, desviei meu olhar... e a roda gigante rodava com sua imensa saia de todas as cores. Meu coração estava em risco de novo.

4 comentários:

Rick Monteiro" disse...

Nossa, que belas palavras"
Adorei o blog"
Permanecerei por aqui"
Bjws"
http://nostudinhos.blogspot.com/
te espero lá tbm"

natália persi disse...

Adorei ! Muito lindo. Aliás, como tudo aqui...

voltarei sempre, espero vc no meu também (:
besos ;*

Tainã Almeida disse...

Os adultos vivem dizendo que a adolescência é um dos periodos mais marcantes da vida; Mais o que o adolescente pensa disso?
Visita o meu blog?

http://blogdeumagarotaadolescente.blogspot.com/

Se gostar do meu blog, segue lá, ficarei muito feliz mesmo.
Desde já obrigada, tenha uma ótima semana.
Atenciosamente Tainã Almeida.

Ana Lúcia Lira disse...

Liiindo o texto! Tô te seguindo :)