Páginas

12 de maio de 2011


Lá está ela, mais uma vez. Não sei, não vou saber, não dá pra entender como ela não se cansa disso. Sabe que tudo acontece como um jogo, se é de azar ou de sorte, não dá pra prever. Ou melhor, até se pode praver, mas ela dispensa. Acredito que essa moça, no fundo gosta dessas coisas. De se apaixonar, de se jogar num rio onde ela não sabe se consegue nadar. Ela não desiste e leva bóias. E se ela se afogar, se recupera. Estranho é que ela já apanhou demais da vida. Essa moça tem relacionamentos estranhos, acho que ela está condicionada a ser uma pessoa substituta. E quem não é? A gente sempre acha que é especial na vida de alguém, mas o que te garante que você não está somente servindo pra tapar buracos, servindo de curativo pras feridas antigas?

5 comentários:

Terê. disse...

então, passei para deixar um beijo. terê.

A Menina que não pisca nunca! disse...

Lindo texto, lindo blog, lindas imagens.

Adoro CFA, mas eu continuo acreditando que somos especiais na vida das pessoas, acho que não somos substituíveis, me faz feliz pensar assim, tudo bem que as vezes quebro a cara, mas aí é só "levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima" Beijão. Gostei daqui e fiquei =)

www.ama-visse.blogspot.com

Alê disse...

A gente sempre, sempre acha

Até que,


Se decepciona

Laís Pâmela disse...

Não gosto de esperar muita coisa das pessoas, mas também não quero esperar decepções. Eu vou levando.
Beijos.
Caio s2.

Ká. ✿~ disse...

necessidade de ser especial..
mas a gente tem que se arriscar né?