Páginas

27 de maio de 2011


Quando o susto é grande e dói assim, a gente precisa de algum tempo para recuperar o fôlego outra vez. Para voltar a caminhar sem contrair tanto os ombros e a vida. Um espaço para a gente quase se reinventar.
O tempo passa. O fôlego retorna. Parece milagre, mas as sementes de cura começam a florescer nos mesmos jardins onde parecia que nenhuma outra flor brotaria. A alma é sábia: enquanto achamos que só existe dor, ela trabalha, em silêncio, para tecer o momento novo. E ele chega.

3 comentários:

Alê disse...

Ana: sábia!

Adoro!!!!

Lindo demais,

Danielle Martins disse...

... esperando o novo meomento chegar!
Bom domingo!

Lelê disse...

Perfeito! Vivo esse momento!