Páginas

6 de abril de 2011


Trata-se de saber se devo prosseguir nos meus impulsos. E até que ponto posso controlá-los. [...] Deverei continuar a acertar e a errar, aceitando os resultados resignadamente? Ou devo lutar e tornar-me uma pessoa mais adulta? E também tenho medo de tornar-me adulta demais: eu perderia um dos prazeres do que é um jogo infantil, do que tantas vezes é uma alegria pura. Vou pensar no assunto. E certamente o resultado ainda virá sob a forma de um impulso. Não sou madura bastante ainda. Ou nunca serei.”

2 comentários:

♥ Luciana Mira ♥ disse...

Tudo no seu devido tempo. :) Olha, gosto mto do seu blog, vou te linkar no meu.

beijos!

A Peregrina disse...

Que dilema...
Eterno como tú Clarice.
Amei a postagem,
Beijinhos.