Páginas

17 de junho de 2011


(...) O amor, não importa de que forma se manifeste, encontrará maneiras para nos tirar lá desse lugar com recursos às vezes inimagináveis. Podemos estar tão cansados pelo breu que não conseguimos perceber num primeiro momento, nem num oitavo, nem num trigésimo, o convite da luz. Mas, de um jeito ou de outro, o amor que nos habita não cansará de tentar. Ele não foge pela porta dos fundos.

2 comentários:

Alê disse...

'é só o amor que conhece o que é verdade'

Danielle Martins disse...

O amor não desiste, é persistente, é corajoso... o amor...
Beijinhos!