Páginas

10 de agosto de 2011


A gente entende que saudade, além de não se traduzir, também não se cobra. Que presença e importância não se impõe.

Curta o Blog no FaceBook : Curtir

4 comentários:

Arnoldo Pimentel disse...

Profundo e verdadeiro seu texto, beijos.

Laís Pâmela disse...

Pena que não se impõe, senão ia fazer ele gostar de mim, sentir minha falta.
Lindo.
Beijo.

'Lara Mello disse...

Simples e lindo :)

Val disse...

lindisimo...